DOS PRINCÍPIOS PARA O MOVIMENTO WESLEYANO*


Ronaldo

O movimento wesleyano é muito maior do que a Igreja Metodista. No seu núcleo, esse movimento é dinâmico, reavivado e evangelístico. Em muitos lugares do mundo, as comunidades wesleyanas e metodistas estão em meio ao avivamento.


Alguns chamam esse movimento de "O Novo Metodismo". Seus avanços só se fortalecem e geram frutos verdadeiros se fundamentados em alguns princípios, os quais enumero a seguir.


1. O ‘novo metodismo’ alimentará os famintos, física e espiritualmente.


Fisicamente. Uma das marcas do movimento metodista é que somos socialmente engajados. Historicamente, temos estado profundamente empenhados em amparar as pessoas necessitadas. Essa é uma força da nossa tradição que, o que quer que aconteça a seguir, devemos manter. Alimentar os pobres, proporcionar alívio em situações trágicas ou calamitosas, lutar contra doenças, ampliar o ministério com pessoas com deficiências físicas são exemplos de grandes vitórias para o reino de Deus.


Um avivamento wesleyano envolverá inevitavelmente um compromisso renovado com a santificação. Parte da nossa santificação pede maiores níveis de generosidade. Na verdade, eu diria que uma visão santificada do dinheiro será necessária para nos tornarmos quem Deus está nos chamando para ser.


A crença certa é importante, mas não é suficiente. Como Wesley disse, é possível ser tão ortodoxo quanto o diabo e tão estranho como ele em relação à verdadeira religião do coração.


Espiritualmente. As pessoas também estão com fome espiritual. O problema é que muitos simplesmente não sabem disso. Às vezes, você ouve as pessoas perguntarem por que o avivamento tende a acontecer mais entre os empobrecidos. A razão é que o rico pode pagar o suficiente por bens materiais para se enganar pensando que está bem. A verdade é que eles não estão bem.


Muitas pessoas que conhecemos parecem estar bem. Raspe sob a superfície, e você verá que as coisas nem sempre são o que parecem: abuso de substâncias lícitas e ilícitas, casamentos sem amor, sofrimentos financeiros, dependência de vícios diversos, uma sensação de anseio não cumprida. As pessoas em nossa cultura estão vazias por dentro e atoladas no pecado. E simplesmente não percebem, porque eles têm coisas suficientes em suas vidas para adormecer a dor, pelo menos por um tempo.


Estão famintos por Jesus. Eles podem não saber disso, mas Cristo é o único que pode satisfazê-los. Há uma noção, às vezes atribuída a Agostinho, mas que provavelmente começou com Blaise Pascal, que cada pessoa tem um buraco em forma de deus em seu coração. Nós tentamos preencher esse buraco com "coisas" - dinheiro, sexo, sucesso, etc., mas nada pode nos satisfazer. Somente Deus pode nos trazer a verdadeira realização.


Ou como CS Lewis disse: "Se eu encontrar em mim mesmo um desejo que nenhuma experiência neste mundo pode satisfazer, a explicação mais provável é que eu fui feito para outro mundo".


2. O ‘novo metodismo’ será cheio do Espírito de Deus.


Algumas pessoas reagem negativamente com a mera menção sobre um cristianismo "cheio de espírito" ou "carismático". O termo "carismático", no entanto, significa simplesmente que Deus nos dá dons. Estes dons são descritos para nós em Romanos 12: 6-8 e 1 Coríntios 12: 8-11. Não devemos nos surpreender se Deus nos oferecer esses dons, tanto na adoração quanto na vida mais ampla da Igreja. Na verdade, devemos esperá-los.


A manifestação dos dons do Espírito é uma das características do Metodismo. Em lugares tão distantes como Cuba, Vietnã e partes da África, a expressão metodista é preenchida com expectativas de sinais e maravilhas. Não só dons como o ensinar, exortações e compaixões, mas também profecias, cura e discernimento de espíritos.


Para muitos cristãos de hoje, Deus é basicamente um constructo teórico. Para estes, ‘Deus’ é um conceito que dá peso às reivindicações éticas e nossas exortações para buscar a justiça social.


A ideia de Deus como agente, porém, simplesmente não faz parte das vidas dessas pessoas. Não há sentido de expectativa real associada à oração. O Deus bíblico, tão intrincadamente envolvido na vida cotidiana de homens e mulheres, não é levado a sério. Afastar o Deus bíblico é realmente uma perda tremenda.


O “próximo metodismo” recuperará a ideia de Deus como um agente, um doador de dons que está ativamente envolvido em nossas vidas. Eu realmente acredito que a próxima geração não será convertida por palavras plausíveis de sabedoria, mas por uma demonstração do Espírito e poder.


Estamos em uma era de cinismo intenso, quando as pessoas são constantemente bombardeadas por propagandas sediciosas, onde muitas vezes é difícil separar o "falso" de notícias "reais", o que gera uma suspeita generalizada de qualquer sistema de autoridade. Deus vai ter que aparecer para dissipar essas densas nuvens de mentira e engano, e eu acredito que Deus fará isso se pedirmos com fé.


Continuaremos no próximo post com mais alguns princípios para o novo metodismo.

* Adaptado de WATSON, D. Four marks of the next methodism”. Disponível em <https://goo.gl/Wd9gA4> acesso em 20/06/2017.

Luciano Sathler Professor de Escola Dominical Membro na IM Central em Santo André

#colunistas #Luciano

Post em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square