Mania de ter manias


Patrícia

Ao escrever sobre mania, não desejo aborda-la no sentido etimológico (do grego, mania, estado de loucura, demência), mas pensar nas manias que nos leva a um estado de anormalidade, no sentido de levar a outra pessoa a um estado de satisfação. Vejamos nessa ótica:


Tod@os nós temos manias. Algumas podem nos servir para certas disciplinas, outras, costumes nos comportamentos de nossas famílias. Lembro-me de duas que trago de meu pai e minha mãe. Meu pai jamais bebia água em copo de requeijão, sempre mencionava que a água descia bem melhor em um copo bonito, adequado. Já minha mãe, não permitia quando erámos pequenos, beber café em copos. Sempre dizia que o café tinha um gosto bem melhor em uma xícara apropriada. Manias idênticas de pessoas que conviveram por mais de 50 anos. Essa estranha mania, trago para o meu dia a dia, e quando percebo que as repito, não tem outro jeito a não ser rir de mim mesma, mas que o líquido desce melhor em copos ou xícaras adequadas não tem discussão mesmo.


Obviamente meu pai e minha mãe tinham outras manias que identifica virtudes e qualidades. Sempre que pediam uma carona para ele, fazia questão de levar a pessoa ao destino final, pois carona para ele era completa. Minha mãe tinha a mania de ajudar todas as pessoas. Nunca presenciávamos uma “meia ajuda”. Somava esforços para ajudar em todos os sentidos. Quando não tinha recursos próprios, não restringia em buscar soluções entre pessoas queridas e amigas. Aquelas, que sabia que não iam olhar ou pensar se “mereciam” . Seu lema era “fazer o bem sem olhar a quem”.


O trecho da música que menciona “mania de ter fé na vida” talvez tenha sido inspirada em pessoas que conhecemos ou temos a saudade por não estarem mais perto de nós. Algumas vezes imagino o que é ter fé na vida em um mundo que não retrata muito a vida desejada por Deus para nós. Mas, somos coadjutores desse mundo e precisamos manter algumas manias que faz o mundo cada vez melhor. Levar esperança, concretizar auxílios aos necessitados e tantas outras ações possíveis.


Certa vez em uma de minhas viagens, conheci uma senhora que há algum tempo , fazia de suas viagens de férias um roteiro para ajudar as pessoas mais carentes. Levava apenas uma mochila para suas acomodações e suas malas eram repletas de sandálias de dedo, roupas seminovas e pequenas coisas que em um país paupérrimo fariam toda a diferença. Mania de ajudar às pessoas, essa prática se tornou um bem.


Quem sabe uma hora, podemos sentar e conversar sobre nossas manias. Quem sabe você já tem uma prática que pode se tornar uma boa ação que auxilie outras pessoas.


Tenho tantas outras manias que o tempo tem me ensinado que são pedagógicas no meu dia a dia. Mas, sei que tenho que aprender muitas outras ainda.


Até a semana que vem.


Abraço fraterno.

Patrícia Marques Pastora na IM em Santana

#colunistas #patricia

Post em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square