VERDADE E AMOR, FUNDAMENTOS QUE SE ALIMENTAM


Ronaldo

João está se dirige ao seu amigo, Gaio, orando por sua prosperidade e boa saúde física, para que ambas as condições estivessem no mesmo grau em que sua vida espiritual realmente estava seguindo – III João 2. A alma próspera anda na verdade e no amor, submete-se à autoridade da Palavra de Deus e imita exemplos piedosos.


Não é possível assegurar que a carta seja escrita ao mesmo Gaio citado por Paulo em Romanos 16:23 e I Coríntios 1:14, mencionado também em Atos 19:29. O que há em comum nesses personagens é a disposição de generosidade fraternal. Em III João 5-8 fica claro que a hospitalidade e apoio financeiro oferecidos aos missionários cristãos que viajavam era algo digno diante do Senhor e indicava aqueles que eram cooperadores da Verdade.


Outros dois homens são citados, um péssimo exemplo – v. 9-11 (Diótrefes); e outro por seu bom testemunho – v. 12 (Demétrio). Os três personagens mencionados no livro nos fornecem chaves para perseguir uma alma próspera.


1. A alma próspera anda na Verdade e no amor. Como em todos os escritos de João, a Verdade é um conceito central em III João. Ele menciona isso nos versículos 1, 3, 4, 8 e 12, além do mundo "verdadeiro" no versículo 12. Por que o velho apóstolo martelava sobre a Verdade com tanta frequência? Uma das razões era por ser o último apóstolo vivo, que viu muitos erros rastejando para dentro das igrejas.


Além disso, o Senhor Jesus enfatizou repetidamente a verdade em Seu ministério terreno – veja João 1:14, 3:21, 4:23 e 24, 8:32, 14:6, 17:17 e 18:37. Ao contrário das filosofias pós-modernas que negam a Verdade absoluta no reino espiritual, a Bíblia afirma claramente que há verdade e erro, teológico e moral. Esta Verdade centra-se na pessoa e na obra de Jesus Cristo, que é o Deus da Verdade na carne humana. Em Gaio, sua prosperidade espiritual estava embasada no andar na Verdade – v. 3 -, e em amor – v. 6 -, duas virtudes essenciais aos cristãos.


2. Andar na Verdade implica em conhecer a Verdade. Isso requer propósito deliberado e esforço, tanto para entender a Verdade como para andar nela. A forma como uma pessoa pensa sobre Deus, o homem, a salvação e a vida determina como essa pessoa vive. Uma pessoa com conceitos errôneos nessas áreas viverá diferente do que alguém com uma visão bíblica nestes assuntos importantes.


3. Andar na Verdade implica o crescimento na Verdade. Não possível se imobilizar em relação à Verdade, é preciso caminhar, um movimento constante em uma direção intencional. Requer disciplina e esforço. Caminhar não é tão rápido quanto correr, mas te levará para onde está indo, na Graça e no conhecimento de Cristo – II Pedro 3:18.


4. O crescimento na Verdade sempre deve resultar em amor. Às vezes, o amor exige confrontar uma pessoa que está em erro teológico ou moral. Presumivelmente, Diótrefes não ensinou os erros dos hereges ou João teria dito algo sobre isso. Mas, Diótrefes era um homem egoísta e desamoroso, razão pela qual João o atingia muito duro por esses pecados – v. 9-10. Devemos assumir que o apóstolo do amor estava agindo em amor para com este homem pecador.


5. O amor manifesta-se em boas ações práticas. Uma delegação que retornou de uma visita a Gaio tinha testemunhado de seu amor. Foram acolhidos em sua casa, embora fossem estranhos a ele antes da visita. Quando saíram, ele os carregou com suprimentos para sua jornada e com dinheiro para seu trabalho missionário. Seu amor não era apenas conversa. Mostrou-se no tratamento de outros como ele próprio gostaria de ser tratado. Ser hospitaleiro é uma qualificação dos crentes - Romanos 12:13.


6. Já a alma destituída da Graça de Deus se enche de vaidade. Diótrefes "ama ser o primeiro entre eles" - v.9. Aí reside a explicação para a maioria dos problemas da Igreja através da história! As pessoas querem ser as primeiras, ocupar o lugar de maior destaque, serem reconhecidas como superiores aos demais.


O problema de Diótrefes não era sua teologia, mas sim sua ambição pessoal e orgulho que o levou a se opor até mesmo ao apóstolo João. Ele provavelmente tinha razões pessoais para sua oposição. Ele pode ter dito à igreja: "João não entende o perigo de acolher esses professores itinerantes nessa igreja. Precisamos manter a doutrina pura aqui. Não sabemos que tipos de erros estes homens podem trazer. Me sigam! Não recebam esses professores em suas casas. Se você fizer isso, teremos que colocá-lo fora da igreja”. Sinais de que a única pessoa que ele amava era a si mesmo. Justamente o oposto de ensinamento de Jesus em Mateus 20:26-28.


Evite a convivência com os vaidosos. É gente que ainda não tem a Verdade.

Luciano Sathler Professor de Escola Dominical Membro na IM Central em Santo André

#colunistas #Luciano #verdade #amor

Post em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square